Historinha

Por que danado esse blog tem esse nome?

Morei na Alemanha muito pequena, com meus pais que lá foram estudar e ver o mundo, comigo a tiracolo, bichinhos! Bom, isso fez com que desde cedo as palavras e sons alemães me perseguissem e quando me deparei com verallgemeinerungen foi realmente paixão à primeira sentida.

Meu pequeno lado filóloga (ui!) quer falar sobre as palavrinhas que compõem nossa palavrona. Começando pelo meio: allgemein pode significar coisinhas como "geral", "todo" e vários outros termos que de pequenos só têm o nome.

Já a partícula inicial ver traz várias ideias nela embutidas, como a de que há um processo em movimento. Com ela, há a transformação de algo em algo geral. Em algo total. Não dá um medinho? Dá em mim, às vezes. :)

A existência do ung é mais simples de comentar, apesar de sua carga grandiosa no entender de um monte de gente: graças ao ung, nossa palavrona é um nome, um substantivo. Um núcleo da frase. É muita responsabilidade, rapaz. Uma palavra não apenas no feminino, mas que ainda por cima deve ser escrita com letra maiúscula. Die Verallgemeinerung.

Só que não existe apenas um núcleo. Não existe apenas uma Verallgemeinerung. No mundo, elas são muitas, ditas em todo lugar e em todo momento. Arrisco dizer, e não sou a única, que sem elas não nos comunicamos.

Então é isso. Muitas generalizações, no plural, têm sido feitas e ditas aqui. Não há para onde correr e este é o nosso pressuposto, nossa premissa. Geral.

Beijo,
Marina

Nenhum comentário: