18.5.10

momento hipocondria

desde que comecei a dar aula sinto as mais estranhas coisas em todos (to-dos) os rincões de minha garganta.

a cada semana o ângulo de sensações se alterna: tem uma rosa dos ventos dentro de minha garganta, espetando numa direção por vez.

o poder é tanto, que outros órgãos ficam com ciúme e querem quanticamente se integrar, como agora meu querido ouvido esquerdo que clama por atenção.

eu sei que todos vocês existem! agora, pelo menos, eu sei.

pois a vida é mesmo uma caixinha de surpresas.

esse negócio de take for granted né pra qualquer um não.

17.5.10

adendum

e o nome da minha filha hoje vai ser

isolda.
como é possível ouvir uma música bonita em plena segunda-feira banalmente cheia de afazeres desimportantes porém sine qua non?

pois é, não é possível.

perde-se o foco, concentração, cai-se em si: nada tem mesmo importância, apenas a música.

por isso urge fazê-lo.

mas como é difícil.

como é difícil desligar esse som!!!

1.5.10

22:09, sábado

não sei se passo creme no rosto e vou dormir

se como doce de buriti
ou um ovo frito.

atóron asno de buridan way of life