8.12.06

So do it

I can show you that when it starts to rain,
Everything's the same.
I can show you, I can show you.

5.12.06

Hallelujah

Poxa.

Tava merecendo.

Como é bom acordar numa terça-feira sem despertador e dar um bom dia a mim mesma, pela primeira vez em um tempo considerável. Colocar essa pilha de livros toda de volta à estante e limpar a escrivaninha enquanto escuto música boa. Almoçar, uma sestazinha, mais. Mais sons harmoniosos aos ouvidinhos ávidos, é por aí mesmo, que Marina tá precisada, bichinha.

Aí é que reparo o tempo que faz em que não paro para prestar atenção numa música, prestar mesmo, tou falando. Essa correria das últimas semanas me fez escantear um dos maiores prazeres da vida de uma pessoa. Claro que todos os dias ouvia algo, ao menos enquanto tomava banho, ao menos isso, senão já estaria periclitante. Mas é preciso parar tudo de vez em quando. Tudo tudo mesmo, e só ficar ali, ouvindo e tendo goose bumps. Fundamental.

Recarreguei meus pontinhos para sobreviver e encarar as próximas etapas.

Obrigada.




































Oh well, time's up, see ya!

9.5.06

Capitalismo e Advertising

Alguém pode, por favor, explicar para aquela nova rede de supermercados de Boa Viagem que, se eles quiserem realmente concorrer com o Wal-Mart nordestino eles têm que, pelo menos, por Tutatis, pronunciar a palavra corretamente???

É Êxtra, com acento circunflexo, bando de leso duma figa! É por isso que continuo comprando no Bompra. Oux!

Aquisições


É óóóóóbvio que eu não ia deixar de comprar o lançamento livraria-cultura do livro 2005/2006 de Hornby, né? Óbvio. Só que a minha capa é azul, mais bonita.


E este, porque eu tenho que estar na velha-nova moda Rita Lee / Mutantes também, né, geantche?

* * *

Houve outras, mas nã-na-nina, não vou dizê-er. Tão pensando que vão desvendar todos os meus segredos, é? Por enquanto não.

Ai, adoro esse negócio de blog. Andy Warhol (Era ele mesmo? Aquelas tchurma, ali, da minha cidade.) era um gênio mesmo. É. Ai, ai, life, como diz Iaiá.

Beijos livresco-culturais.

4.5.06

It's up to you, Mel, York

É pau mesmo. A menina tá mais linda do que já era e ainda por cima é (bem) paga para visitar a minha cidade, trajando essas vestimentas primaveris. Depois dizem que Deus é justo.

(Ai, como tou blasfema esses dias. Vou terminar indo passear lá no Hades. Ops, blasfemei de novo! Vôte.)

29.4.06

Leo tem toda razão!

Eu disse que eu ia me esquecer de algum. Mas como foi logo dos meus suculentos jerimuns?

Um adendo, vai para Top Seven então, 7 é até um número mais estiloso.

7) Glynis - The Smashing Pumpkins (O solo é minúsculo. Por isso mesmo que é tão lindo, te deixa na ânsia. Pra piorar, é com wah-wah e entrega da forma mais classuda possível o último refrão da música, a apoteose, e, vou parar por aqui, senão eu choro, a-a-wah.)

26.4.06

Falando nela...

Lindona, em versão car wash.



Do meu guru Allmusic:

Harvey was raised on a sheep farm in Yeovil, England, where she was raised by her quarryman father and her mother, who was an artist.

25.4.06

Desert-island, all-time, top six Guitar Solos

Vou dar uma de Rob Fleming aqui, faz de conta que tou na Championship Vinyl com Barry (meu personagem mais querido; só podia ser Jack Black mesmo para fazê-lo no cinema) e Dick.

O assunto são solos de guitarra (vão me conquistar, sim, sim). Vale violino? Tá, não vale. É guitarra elétrica mesmo, plugada lá no amplificador. Aquele momento naquela música em que é dada aquela atenção que o instrumento merece.

Sem ordem de preferência, ei-los:

1) Let it be - The Beatles (Comecei bem, heim? Nem sei quem faz, tou com preguiça de checar. Mas sempre gostei, é a primeira vez que a guitarra entra na música e já o faz assim, meu deuso.)

2) Trem azul - Clube da Esquina (Esse é um dos solos mais lindos que já escutei, ainda causa goose bumps.)

3) Vicente Silva - Aratanha Azul (Adoro, não importa mais nada.)

4) Time waits for no one - The Rolling Stones (Ou melhor, Mick Taylor. Incrível, incrível, isto é incrível.)

5) Bad ambassador - The Divine Comedy (Roquenrôl dimai.)

6) Introdução de While my guitar gently weeps - The Beatles. E pior que o piano só toca praticamente apenas uma nota. Aí ele faz aquela coisa doida, e começa a cantar. (Aliás, quero todos, mas todos os solos de Harrison, em especial os ao contrário com harmonias doidinhas.)

Vou nem dizer Keith e P.J., porque, estes, qualquer porcariazinha que fazem já tou babando, oh yeah, baby, sheela-na-gig exhibicionist. Devo ter esquecido algum, but, who cares. I don't give a rat's arse.

Pois é. Positive vibrations pros Senhores também.

23.4.06

Arsch!




A pedidos, requests, cá está.


Agora vocês decidem qual preferem. Qual easter bunny, qual versão, alemão, ingrei, portuguei, the devil on fours, qual é melhor. Votação aberta! Dêem os lances!


Uma beijoca.

17.4.06

A Graça do meu Manjericão

Faz algumas semanas que estou cuidando de uma plantinha, de estimação. Isso mesmo, trata-se de um belo dum manjericão. Gostoso que só ele, já rendeu vários molhinhos que papamos no jantar.

Mas a dona dele que vos fala não é lá essas coisas. Sempre se esquece de alimentar o bichinho, nem deixa o pobre produzir os ATPs dele direito.

O pior de tudo foi justamente nesse feriado que passou. Depois de três dias completamente ao léu, o espécimen de criação ficou sequinho, sequinho. Murchinho, murchinho. Chega deu peninha quando voltei do meu retiro.

Mas Deus é grande. E com toda a sua grandeza, que se mostrou ainda maior nesses dias que agora se sucederam, dedicados unicamente a Sua Magnificência (como é que chamam a um reitor de universidade assim, pelamãedoguarda), fez ressurgir das cinzas o meu amado manjericão, sim! E para isso, tchã ra ra rann, só bastou um (!) diazinho de maior atenção de minha parte ao dito cujo (i. e. dei água, finalmente, pro total desafortunado de outrora). E o milagre se fez.

É essa a estória. O manjericão ressuscitou ao terceiro dia, subiu aos céus e está sentado à direita do meu outro pezinho de estimação, este de hortelã, não menos apetitoso do que o outro, mas, devo frisar, dá bem menos trabalho do que o hiper sensível manjericãozão. A hortelã vai se ramificando, de qualquer jeito, tão linda, bem mais humilde. Ai, quando vejo os dois ali hoje, nham nham!!!

E pior que dia desses sonhei que o manjericão estava com chagas, tinha sido todo podado por minha mãe, o bichinho. Que sonho mais louco. Mas acordei.

Mermão. Esse assunto páscoa já morgou, né?

É, mas é assim mesmo, eu perco a Graça mas não perco a Piada, hehe.

Sabe o que é também, no meu calendário australiano 2006 tem dizendo assim, que hoje, dia 18, é: Easter Tuesday (TAS). Exatamente assim. Aí me inspirei de novo por essa graça, in both senses, me lord. Que pinóia de TAS é isso? Será que é porque é só na Tasmânia. . . ?

?

Por falar em ditongos crescentes, hoje também faz 100 anos do terremoto da Califórnia. Só para constar.

***
Pros cozinheiros, ou gastrônomos, botânicos, biólogos, diletantes: manjericão é o mesmo que basílico, mesmo?

coelhinho da páscoa, que trazes pra mim. . .

lá lá lá, da da da, lá lá lá dá rá





sent from a nice strawberry blonde.

13.4.06

A liberdade de expressão é a melhor coisa do mundo

E Morrissey é pau.



But Jesus hurt me
When he deserted me
but

I have forgiven Jesus for all the desire
you placed in me when there's nothing I can do with this desire

Adoro esse disco, todinho.

Sim, e feliz páscoa para todos!

11.4.06

Essa mulé é minha ídola mermo*

Angelina Jolie deve dar à luz protegida por leões na Namíbia


WINDHOCK (Reuters – 10/04/06 16:08)

A atriz Angelina Jolie, grávida de seu namorado Brad Pitt, se refugiou em uma pousada remota na Namíbia, onde leões selvagens ajudarão o casal a se proteger dos paparazzi, informou um jornal local na segunda-feira.

As duas celebridades e seus dois filhos adotivos, Maddox e Zahara, chegaram ao país ao sul da África na semana passada, alimentando especulações da imprensa sobre a vontade da atriz de dar à luz na Namíbia, longe da atenção do público. O periódico africano Namíbia Die Republikein informou que o casal havia se mudado de um complexo luxuoso na cidade costeira de Walvisbay para uma cabana no Parque Nacional de Jogos Etosha, ao norte do país.

Os leões são uma das principais atrações turísticas do parque e ajudariam a manter longe os intrusos que tentassem fotografá-los.


* leia-se: é um tipo um tanto interessante.

Verallgemeinerungen, Verallgemeinerungen, ich liebe Verallgemeinerungen.

3.4.06

Novo restaurante da cidade

Chega o garçom, a madame está à espera.

- Garçom, o Senhor poderia, por favor, trazer-me como entrada esta "Recuperação Judicial" aqui?

- Pois não, Senhora. Outra boa pedida é a sopa "Letra de Câmbio".

- Não, obrigada, not in the mood today. O que o Senhor acha deste prato principal, "Convolação da Recuperação Judicial em Falência"?

- É muito apetitoso, Senhora. Recomendo.

- Não, acho que vou querer este "Modalidades de Compra e Venda Mercantil", tou com vontade de comer carne hoje mesmo. De sobremesa, quero esta "Legitimidade Ativa do Cônjuge Sobrevivente para Requerer a Execução Coletiva". Obrigada.

* The End *

Gente, é muito engraçado. O meu novo resumão jurídico é simplesmente igual a um cardápio. Mas, igual. Plastificado, bonito, se desdobra em três partes e tudo o mais. Tem todas as comidas do mundo. Chega dá fome, mas pena que não é fome de estudar.

20.3.06

A página do relâmpago

Tiro e queda praqueles dias, não raros, em que precisamos realmente crer que é possível o amor entre as pessoas, um mundo melhor, a preservação das tartarugas marinhas, a redenção da carne, vida eterna, amém coisa e tal. Disco lindo da preula.

15.3.06

A.I. é aqui

Quando eu assisti ao filme de Kubrick/Spielberg A.I., a parte de que mais gostei foi o final, em que os ETs esbeltos, ou seriam robôs, sei lá, iam encontrar o Pinóquio nas profundezas do oceano. Quando esses seres extraordinários lá chegam, começam a conversar entre si. Só que essa conversa não era bem uma conversa, nesses nossos moldes mundanos. Era uma coisa linda, assim, bem bonita e quântica. Eles, simplesmente, cheios de classe, estendiam o braço sobre a cabeça do seu semelhante e pimba, comunicação estabelecida. Nenhum som carecia ser emitido, nem um olhar, nem nada. Só o braço fino, longo, pairando na cabeça do outro. Coisa linda mesmo. O enigma da vida estava resolvido. Wittgenstein, Habermas, sinto muito, mas de nada mais adiantavam vossas especulações.

Bom. Negócio é o seguinte. A.I. é aqui.

Pesquisadores exibem máquina que lê e traduz pensamentos na CeBIT

13/03/2006 – 16h45InfoMoney

SÃO PAULO - Cientistas do Instituto Fraunhofer e neurologistas do Charite Hospital de Berlim, juntos, anunciaram na CeBIT, feira de tecnologia que acontece em Hanover, Alemanha, um leitor de mentes.

Pode parecer impossível, mas o grupo de cientistas conseguiu desenvolver um sistema que recebe sinais do cérebro e os interpreta, de acordo com uma base de dados, traduzindo-os em imagens e palavras.

Enquanto especialistas em neurologia forneceram o conhecimento fisiológico sobre o órgão, acerca dos estímulos e reações em cada parte do cérebro, os especialistas de computação transformaram os dados em números e códigos.

Assim, através de uma espécie de touca de natação de couro, ligada a diversos fios, são transmitidos sinais elétricos do cérebro para o computador, que os reconhece e interpreta, transformando-os em comandos.

Na prática, a máquina pode entender o que uma pessoa pensa. Na apresentação na CeBIT, neste final de semana, dois homens foram usados. Sem que nenhum dos dois sequer se mexesse, imagens, palavras e até mesmo frases inteiras se formaram na tela dos computadores.

Por enquanto, a experiência ainda consome bastante tempo, levando vários minutos para formar uma sentença, porém já significa um grande avanço. A idéia é utilizar a nova tecnologia em pessoas que sofrem de paralisias corporais mesmo estando com o cérebro perfeitamente intacto, devolvendo-lhes a capacidade de se comunicar.

Há planos de trabalhar no sentido de descobrir uma forma de utilizar o sistema para ajudar pacientes mutilados a controlarem próteses apenas com a mente, como fariam com um membro natural.

A máquina ainda não deverá chegar ao mercado. Seus criadores ainda planejam dedicar entre dois a quatro anos para mais estudos em torno do projeto, o que inclui pesquisas e testes de aplicações em pacientes.

14.3.06

Ed


Todo mundo fala mal dele. Mas aí, totalmente por acaso, vejo um disco dele por módicos R$ 4,99. Poxa, fazia uns 59 anos que não via um disco comprável por esse preço. Comprei-o-o.

Não é que o disco é legal? E ainda combina com meu blog!

Se arruma, aqui que tá bom
Aqui tá de-ee-ez
Se arruma, tem espaço na van
Tem espaço na vannnn!

E eu nem me importo com a já incorporada ao nosso idioma brasileiro falta de uniformidade no uso de pronomes pessoais em uma mesma frase, i.e. tu e você são tudo a mesma coisa, pra que ser tão meticuloso com isso, oras. Tem espaço na van pra todos.

8.3.06

Marinas

Para compensar um final de semana de carnaval super animado, só mesmo outro de muita, mas muita caretice. You can't always get what you want, já disse o filósofo.

Eis que eu, mal me recuperava da ressaca, fui passar dois dias fazendo prova de concurso público, em que nada menos que 640 candidatos disputam uma vaga. Isso foi lá em um colégio privado em Boa Viagem.

Já estava na última etapa, na tarde do domingo, completamente estafada, quando decidi que era hora de esticar as pernas. No banheiro, passo pelo detector de metais rotineiro (um saco) e entro em uma das cabines, em tempo de perceber uma senhora limpando a cabine em frente. Alguns instantes depois, eu lá no meu momento íntimo, a senhora começa a papear com a fiscal do concurso, que me esperava. Já que a mim não restavam outras opções disponíveis, ouvi.

- É muito dinheiro que ganha quem passa nesse concurso, né?
- É.
- Quanto? Uns 4.000?
- 8.000.
- Danousse. É, agora vejo por que tem tanta gente aqui. Por isso eu digo pra meus filhos. Eles têm que aproveitar essa chance do colégio, de estudar aqui com bolsa.
- Como é mesmo o nome deles, Lindalva?
- Henrique e Marina. (Eita, lelê, tinha que ser.)
- ...
- Ele tem 9 e ela tem 12. É por esses meninos que eu trabalho sábado, domingo, feriado, sempre que o colégio me chama, eu venho. Eles têm uma oportunidade muito boa aqui.

Queria escutar o resto, estava precisando de um pouco de vida no meu dia. Simularia uma prisão de ventre com perfeição, no maior silêncio da dor, a fiscal nem se importaria com minha demora, ficaria até com dó, tenho certeza.

Mas dá licença que eu tenho que ir ali tentar ganhar um salário de 8.000 reais. (Que eu posso ser uma bestona nos pensamentos, mas tento ser menos nas ações, ora pois.)

Volto pra sala, faço a prova compenetrada. Se bem que, depois. Ai, ai. Dona Lindalva e minha xará.

Será que eu preciso desses dígitos tanto assim?

10.2.06

eu quero


seu yves teve uma idéia tão selbstverständlich que até eu a tive. esse quadro realmente tinha que estar num vestido, exatamente assim.

13.1.06

Quero ver Irene dar sua risada

Depois de dois dias lendo sinopse de direito administrativo de Irene Patrícia Nohara, uma certa pessoa me pede para ajudá-la na leitura de um texto de Friedrich Wilhelm, não o Kaiser, o Nietzsche mesmo - no original. Simplesmente não dá. Nem uma linha. O máximo de contato que eu tenho com a Deutschlândia atualmente é a Erdinger que eu tomo (raramente, na maioria das vezes vai Bohemia Weiβ mesmo, que é metade do preço) lá em Aldeia. E não posso dizer que D. Irene estimule muito minhas aptidões germanísticas.

9.1.06

weiβer Tag

amanhã começa dois mil e seis de verdade, mais branco do que nunca. muito me espera.
acordar cedo.
rotina.
páginas e mais páginas, mas não de livros de verdade.
horas de aulas para serem decoradas e seus intervalos em que não se fala de muita coisa além do último edital, a concorrência, a prova difícil, e você, quantas questões acertou para procurador do banco central? às vezes eu me canso e volto para a sala, misantropa.
espero um dia tudo isso valer a pena.